Mercado Imobiliário

Financiamento de imóveis: conheça as condições atuais

O financiamento de imóveis é, definitivamente, uma das melhores formas de comprar uma casa ou apartamento e sair do aluguel. Por isso, muitas famílias optam por algum tipo de financiamento na hora de comprar seu imóvel próprio.

Dessa forma, é importante informar-se bem sobre como os financiamentos imobiliários funcionam atualmente. Pensando nisso, preparamos este post especialmente para você! Continue a leitura e descubra tudo o que você precisa saber sobre as condições atuais do financiamento de imóveis. Vamos lá?

Os tipos de financiamento disponíveis

Existem diferentes tipos de financiamento de imóveis: há financiamentos públicos e privados, permanentes e temporários. O mais utilizado é o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), programa do governo federal voltado para pessoas de baixa renda — o famoso Minha Casa, Minha Vida integra esse sistema. Para optar pelo SFH, deve-se procurar a Caixa Econômica Federal. Sua vantagem é que ele permite a utilização de recursos como a poupança e o FGTS. 

Há, também, o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), destinado às classes mais altas e com maior flexibilidade no que se refere a valores do imóvel, prazos e juros. Existem ainda outros tipos de financiamento, propostos por diferentes bancos — como Banco do Brasil, Itaú e Santander — com suas próprias regras e planos. Até mesmo construtoras e incorporadoras podem fazer seus planos de financiamento imobiliário!

Além do governo federal, o estado e o município também podem propor financiamentos imobiliários. Categorias de profissionais podem ter direito a financiamentos especiais, como servidores públicos em geral (federais, estaduais ou municipais) e professores, policiais e metalúrgicos. Cidadãos emigrantes também podem ter condições especiais de financiamento de imóveis.

As condições do SFH

Para se ter uma ideia de como funcionam os financiamentos imobiliários no país, vamos conhecer o mais popular deles, o SFH. Para o programa, há um valor máximo para avaliação do imóvel — que, em São Paulo, é de R$ 750.000,00. O SFH financia até 80% do valor do imóvel, cobrando um Custo Efetivo Total (CET) de 12% ao ano. Há, ainda, uma taxa administrativa mensal, que não pode passar de R$ 25.

O imóvel financiado pelo SFH pode ser novo ou usado. Para usar o FGTS, o cliente deve ter, no mínimo, três anos de trabalho com carteira assinada. Pode-se comprometer até 30% da renda bruta mensal, e os juros são de 5% ano ano.O prazo máximo de financiamento é de 35 anos.

O CET e as taxas de juros

O Custo Efetivo Total (CET) é o conjunto de encargos que o cliente paga durante o financiamento. O valor é expresso em forma de percentual anual, abrangendo taxas de juros, tributos, tarifas, registros, seguros, IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e todas as demais despesas do contrato.

O CET deve ser fornecido pelo banco sempre que o cliente solicitar. Afinal, um dos maiores cuidados com os financiamentos imobiliários deve ser com as taxas de juros! No SFH, há um maior controle para que elas não pesem tanto para o cliente. De qualquer modo, as taxas de qualquer financiamento devem seguir a média do mercado — que apesar de variável, é definida pelo Banco Central. Juros acima da média definida pela instituição são considerados abusivos.

Recentemente, a Caixa aumentou o limite de financiamento para imóveis usados de 50% para 70%, no caso de empregados privados, e de 60% para 80% para empregados públicos. A taxa de juros anual também aumentou: para imóveis usados, a nova tabela do SFH determina uma taxa balcão de 11,22%, um relacionamento de 11% e um servidor (relacionamento) de 10,50%.

O uso do FGTS

Utilizar o FGTS em financiamentos imobiliários é uma forma de as pessoas menos favorecidas também poderem realizar o sonho da casa própria, sem ficarem muito apertadas em seu orçamento. O morador deve residir na mesma região onde se localiza o imóvel a ser comprado e, além disso, não pode ter casa própria na região. O imóvel deve ser residencial, pois pontos comerciais e terrenos não podem ser financiados pelo programa.

E então, entendeu tudo o que você precisa saber sobre financiamentos imobiliários? Para ajudar seus amigos e colegas que podem ter as mesmas dúvidas, compartilhe este post nas suas redes sociais!

Você deve gostar também
Por que devo contratar um corretor de imóveis?
Vale a pena pagar aluguel?
Consórcio ou financiamento imobiliário: qual o melhor?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web